28 de abril - Dia Mundial da Educação: Respeito e Responsabilidade - Pratiquem no Trânsito

“A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo” Nelson Mandela

 

 

A educação desempenha um importante papel no sentido de intervir em objetos que lhe dizem respeito: a mudança de comportamento, transformação das questões culturais, e construção da percepção de risco. Mas existem ainda outros aspectos que irão influenciar e, em alguns momentos, até mesmo determinar condições para a ocorrência de lesões e mortes decorrentes do trânsito. O tema da segurança viária como prática educativa cotidiana traz benefícios a todos na sociedade trazendo uma postura mais adequada e consciente no trânsito. 

Realizar ações em torno de uma perspectiva é desafiador, no caso da segurança viária, dado o aspecto multisetorial da questão e da diversidade de agentes envolvidos a mobilização é essencial. Para alcançar esses objetivos, faz-se necessário o fortalecimento de ações intersetoriais, traçando caminhos e perspectivas para que os espaços educativos, em especial as escolas, promovam a reflexão e discussão do tema, construindo e fortalecendo valores como cidadania, respeito mútuo, justiça, solidariedade e diálogo.

Em maio dialoga-se sobre o Maio Amarelo, movimento ao redor do mundo em prol da conscientização em relação ao trânsito. Amarelo para lembrar que esta cor no trânsito significa: ATENÇÃO, e não; ACELERA, como no senso comum. Importante evidenciar que em meio à pandemia as pessoas continuam morrendo. Para mudar esta realidade, basta ter respeito e responsabilidade, proteger nossa vida e a dos outros.

Com a educação é possível transformar comportamentos e potencializar o desenvolvimento de valores e atitudes, construindo um trânsito mais humano e cidadão. De acordo com a OMS em 2020, aconteceu 1,9 milhão de mortes por acidentes de trânsito no mundo. Entre 20 e 50 milhões de pessoas sobreviveram com traumatismos e feridas. Os acidentes de trânsito representam a primeira causa de mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; a segunda na faixa de 5 a 14 anos e a terceira na faixa de 30 a 44 anos.

Muitas campanhas, capacitações, ações de conscientização e educação para o trânsito são realizadas, não só em Maio, mas durante todo o ano em Niterói. Falamos de educação, vida, conscientização, regras e amor. É necessário concordar com Paulo Freire, pois, precisamos de uma pedagogia para grandes urgências, no caso atual não só no Trânsito, mas na Vida! A pergunta que trago: qual a contribuição que nos cabe dar, como seres racionais à construção de um mundo mais humano e solidário, numa época caracterizada por diferentes e cruéis formas de barbárie? Quando escrevo barbárie falo principalmente da indiferença e hipocrisia humana. 

Indicadores sociais nos mostram que estamos num bom caminho, porém sabemos que a educação é uma tarefa diária e por isso precisamos continuar e expandir nossas ações e campanhas juntos com outras secretarias e fortificar parcerias. Em um mundo que cada vez mais se fala de ATITUDE, precisamos de fato ser proativos! A Nittrans tem como missão uma educação para o trânsito com base em um arranjo coletivo e multissetorial que permite ações integradas e, ao mesmo tempo, a influência de um fator sobre o outro, podendo gerar medidas mais apropriadas nas abordagens de segurança no trânsito. 

Volto a Freire: Se a educação sozinha, não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. Na dimensão ético-política precisamos contribuir para a solução de problemas tão graves, e que dizem respeito à sobrevivência da humanidade e do planeta como um todo. Precisamos pensar na Educação, em termos de urgência máxima, situações-limite planetárias. O Maio Amarelo é um desses momentos, não precisamos falar de mortes, já basta os telejornais. Falemos de Vida! E acima de tudo, conscientização. Quando estamos em trânsito ou entramos no carro temos a liberdade e responsabilidades de escolher sobre nossa segurança. Agir, tomar a ação e se posicionar diante da vida e dos acontecimentos! Escolher Ser! Escolher Viver! E principalmente escolher proteger o outro com respeito e responsabilidade.

A Nittrans, através de seus gestores, com recursos humanos, mediação tecnológica, com mais de 190 pontos semafóricos, 18 painéis informativos, o CCO Mobilidade e com os operadores e agentes de trânsito nas ruas com o objetivo de educar e  orientar, tendo o trinômio do trânsito, formado pelos 3 E´s: “Educação, Engenharia e o Esforço Legal” como pedra fundamental primordial para promover a segurança viária em Niterói. 

Temos conhecimento que o pilar mais importante é o da educação, pois estamos nos referindo a nós, seres humanos. No trânsito e na mobilidade humana sempre estará presente o fator humano, portanto, não podemos reconhecê-lo como fenômeno individual, porém como um processo coletivo. Assim temos que o conceito de público não deve ser associado a uma ideia de governo ou estado, mas deve ser reconhecido como de cada cidadão, de cada indivíduo que, com sua particularidade e singularidade, constrói este espaço de convivência. Nossos números ainda não são os ideais quando pensamos na visão Zero, modelo originário da Suécia, mas quando comparados a outras cidades do Brasil percebemos o quão importante tem sido o impacto das políticas públicas em prol de uma melhor educação, segurança viária e mobilidade urbana. 

Em especial neste momento tão atípico, reafirmamos como sociedade nossa admiração e respeito a todos que continuam trabalhando para salvar vidas: médicos, enfermeiros, motoristas de ambulâncias, caminhoneiros, ciclistas, motociclistas entregadores, guardas municipais, policiais, militares ou rodoviários, operadores e os agentes de trânsito. Saibam, vocês são a diferença! Iremos todos nos vacinar, e enquanto este momento não chega deixo meu abraço caloroso e insistam no uso de máscaras e se higienizem sempre. 

Priscilla Lundstedt Rocha

Allyssan Mansano

Monique Carvalho

NOVO CTB - CAPA SITE.png